Et Caetera

Espaço para produções textuais minhas, suas ou para simplesmente contar como foi o dia...

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil

eu sou uma atriz ou eu sou uma gaivota?

domingo, fevereiro 01, 2009

São cem anos de solidão

São cem anos de solidão, meu amigo. E eu ainda tenho uns bons setenata anos. Ou eu descubro logo a graça dessa devastadora.
O jogo acaba, a conversa acaba, no teatro tudo acaba, começa, aca...
A conversa acaba, a paquera acaba.
No final, termina sempre eu com eu mesma.
Solidão, bandida.
Todos ao meu redor estão a sua própria procura. Gentileza, onde se encontra? Na dura promessa da alma em revelar um gentil, aí sim eis tu, oh Nobre sentimento humano.
os homens: se entrelaçam.
são medrosos, se protegem
carentes, se amam
do amor
ai ai
é nobre o espírito de quem ama
quem ama é amado.
E no caminho tortuoso da procura, se batem e se matam também. O despero do vazio os fazem vorazes, devoram o que está do lado, na frente, atrás!
Se debuliam em lágrimas, pelo desespero do vazio. Por causa dele, para ele.
Meu amor, onde está você?

3 Comments:

Blogger Moacy Cirne said...

Um texto sensível, minha cara. Assim é a vida, hoje. Será que no meu tempo de Natal era diferente? Também havia solidão... E muita. Mas decerto outras eram as nossas expectativas diante da vida...

Um beijo.

6:55 PM  
Blogger Fernanda Paixão said...

Moacy,
mas eu acredito que a vida nos dá cem anos de chance para nos conhecer.
e au acho isso bom.
solidão é auto conhecimento, não?
beijos

8:25 AM  
Blogger Moacy Cirne said...

Sim, é verdade: a solidão é importante. ou melhor dizendo: há certos momentos de solidão que são importantes, por que ncessários, para o nosso crescimento interior.

Um beijo.

4:49 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home